Consumo: a força que move a economia

Neste Dia do Consumidor, a força que move a economia e nos faz sermos cada dia melhores é cada cliente, que deposita a confiança em nós. Consumir nada mais é do que comprar, despender de uma parcela de capital para adquirir alguma coisa. E isso faz girar a economia, pois quanto mais se consome, mais dinheiro circula, gerando empregos e renda.

As motivações para o consumismo são as mesmas de sempre: o hedonismo (viver pelo prazer), reconhecimento social e sentimento de pertencimento. Porém a forma de consumo mudou com o passar dos anos.

O consumo no Brasil

Um estudo recente revelou que dois em cada dez brasileiros já levou em consideração o compromisso socioambiental das empresas antes de comprar determinado produto. O nível de engajamento ainda é pequeno se comparado a consumidores dos Estados Unidos e da Europa, porém, a mudança de hábito indica que esses números só tendem a aumentar, tornando o brasileiro cada vez mais consciente. Fazer parte de uma cultura de consumo mais consciente é pensar em atitudes que podem parecer pequenas, mas geram grande impacto.

Outra mudança crescente é em relação aos grupos e, de olho nos lucros, empresários observam cada segmento em escala global e percebem que a venda segmentada tende a crescer. Isso significa pensar no consumidor de forma singular, como mulheres, gays, idosos, solteiros e os chamados novos ricos, que juntos podem ser maiores que o tamanho das economias de muitos países industrializados.

 

Consumo x consumismo

Enquanto o consumo é o que faz girar a economia, o consumismo é o hábito de adquirir produtos e serviços sem precisar deles, a compra pelo desejo e não pela necessidade. O consumismo está diretamente ligado à percepção de que comprar mais vai trazer sensações de felicidade e prazer momentâneo.

Por isso, as datas comemorativas são tão emblemáticas, hoje o Dia das Crianças e o Natal são as datas que os consumidores mais compram além do necessário. Além dessas datas, o Dia das Mães, o Dia dos Pais e o Dia dos Namorados também são exemplos de datas em que as pessoas se sentem induzidas a irem às compras.

O panorama do consumismo no Brasil

De acordo com um estudo do SPC e da CNDL, cerca de 3 em cada 10 consumidores no Brasil consideram que fazer compras é seu tipo de lazer favorito. Esse levantamento descobriu, ainda, que 40,2% dos entrevistados das classes A e B admitem que comprar é uma forma de reduzir o estresse.

Para complementar, um outro estudo, realizado pelas mesmas instituições, revelou que as classes C, D e E são as que mais compram sem necessidade, motivadas principalmente por promoções. Com esses resultados pode-se concluir que o consumismo ajuda a acentuar a diferença de classes no nosso país. Por isso a importância de lidar com o dinheiro de forma consciente e de prezar pelas compras e serviços de qualidade.

 

Cliente como centro do negócio

Com a certeza de que o consumidor é a principal motivação de uma empresa, a Royal Cargo do Brasil percebe a importância de ter cada cliente como o centro do seu negócio. Por ser o cliente a força que move a economia, seja brasileiro ou não, entendemos que todos os esforços são para oferecer o melhor serviço com excelência no atendimento.

Nosso objetivo é desenvolver soluções logísticas e atuar na prestação de serviços de agenciamento de cargas de forma idônea e proativa, para que você não precise se preocupar com nada. Com energia, dinamismo e disciplina, buscamos a satisfação das necessidades de nossos clientes em cada parte do processo.

Conquistamos parcerias duradouras, próximas, longínquas e com um carinho especial por cada cliente. Esses são alguns dos nossos segredinhos para o sucesso: nosso cliente está no centro de tudo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.