Porto de Ningbo-Zhoushan paralisa operações do terminal de Meishan

Paralisação de terminal portuário da China pode afetar ainda mais a situação do comércio global.

O terceiro maior e mais movimentado porto da China, Ningbo-Zhoushan, suspendeu as operações de um dos terminais após a confirmação de um caso positivo de covid-19 em um funcionário. Ainda não há previsão para o retorno do terminal Meishan.

Na quarta-feira, 11, todos os serviços de entrada e saída de contêineres no terminal foram suspensos. O terminal de Meishan responde, atualmente, por cerca de 25% das cargas que passam pelo porto.

A medida pode causar ainda mais perdas de suprimentos ao comércio global e já gera tensão para a temporada de compras de final de ano. Ainda, por conta da falta de espaço, são esperadas rolagens de reservas sem aviso prévio pelos armadores e atrasos nas programações de data de previsão de embarque e atracação informadas no Booking.

Covid-19 e o impacto no transporte marítimo

No último ano, o transporte marítimo vem sofrendo forte pressão global por conta das restrições sanitárias e uma recuperação da economia.

Não é a primeira vez que um terminal chinês tem as operações suspensas neste ano. Em maio, ocorreu o fechamento temporário do porto de Yantian, também por conta de casos positivos de Covid-19.

Testagem da tripulação

A maior parte dos portos chineses exigem teste de Covid-19 para a tripulação e o navio deve ficar atracado até que saia os resultados, em caso de teste positivo, os tripulantes devem permanecer em quarentena.

Embarcações vindas da Índia

Para navios que passaram pela Índia ou troca de tripulação 14 dias antes da chegada na China, alguns portos exigem quarentena de 14 a 28 dias.

Bloqueio da Índia

Por conta da pandemia, a Índia ficará bloqueada até este sábado, dia 15.
Com o início da alta temporada e os aumentos de taxas já foram anunciados. Para as próximas três semanas, os navios já estão cheios e reservados, resultando em uma crise de espaços. Essa situação também se repete em toda a Ásia.

As tarifas FAK, atualmente, são cotadas sem garantia e também houve aumento de taxa devido ao espaço limitado nas embarcações. Por conta dessa situação, as transportadoras estão hesitando em assinar contratos a longo prazo em certas vias.

Espaços em branco, atrasos e desafios

Ainda existem espaços em branco limitados, mas, com a possibilidade de imprevistos.

Por conta de toda a situação que vem sendo enfrentada, os atrasos são inevitáveis e a confiabilidade no cronograma é fraca e afeta com força o comércio.

Os desafios portuários e ferroviários intermodais continuam, desacelerando as cadeias de abastecimento em geral.

Outro desafio é quanto ao planejamento: os embarques precisam ser planejados com, no mínimo, 2 ou 3 semanas antes da partida. No geral, os bookings estão chegando em cima da data prevista para embarque.

Previsão de retorno

O terminal de Meishan planeja abrir parcialmente nas próximas semanas. Na última quarta-feira, 18, os funcionários puderam entrar no terminal, mas não estão liberados para sair e já para as operações de navios, está liberado somente o descarregamento de importações.

O retorno do terminal está acontecendo de forma gradativa, a previsão é que no dia 25 os maquinários, equipamentos e contêineres possam sair e entrar de Ningbo e as funções devem normalizar no dia 1º de setembro.

Fazer o planejamento antecipado junto ao agente de cargas, ajuda você e a sua equipe a evitar imprevistos. Na Royal Cargo, estamos prontos para te auxiliar. Entre em contato por e-mail: contato@royalcargo.com.br ou ligue: +55 47 3344 4243

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.