Quer saber como o seu vinho favorito chegou à sua mesa?

O Brasil se destaca pelos altos índices de produção, comercialização e exportação de vinhos.

Nos últimos cinco anos, a escalada nas vendas aumentou. De acordo com um levantamento feito pela CNN, ano passado, por exemplo, de janeiro a setembro, foram vendidos 6,3 milhões de litros para países do exterior. Os vinhos brasileiros bateram recorde na comparação com o mesmo período do ano passado, o volume é 84% maior. 

Isso confirma o que todos nós já sabemos: o vinho é uma das bebidas mais apreciadas de todos os tempos.

Segundo a União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), em 2021 houve um crescimento de 29,85% na exportação de vinhos finos e 12,29% para os espumantes. Estados Unidos e China são os principais. Esses dois mercados foram responsáveis pelo aumento de 325% das vendas nos últimos cinco anos. 

Para que o vinho chegue à mesa dos consumidores preservando todo seu sabor é necessário priorizar um fator: o transporte!

O transporte é tão importante quanto o processo de fabricação do vinho, pois os cuidados são muito diferenciados. Por exemplo: um vinho só deve ser agitado no momento de sua degustação para que libere seus aromas. Portanto, quanto menos movimento se fizer em uma caixa de vinhos ou mesmo na exposição da garrafa, mais favorável será para a manutenção da qualidade do produto final. 

Siga a leitura e confira mais cuidados necessários para o transporte de vinho!

Alguns cuidados são fundamentais durante o transporte de vinhos para que o produto não perca a qualidade. O contato da bebida com a rolha também deve ser levado em consideração. 

Para isso é indicado que o transporte seja feito com o uso de embalagens e suportes adequados que previnem a agitação, que pode oxidar a bebida. No caso de vinhos com rosca e espumantes, o recomendado é que sejam mantidos de pé, enquanto as garrafas vedadas com rolha de cortiça devem permanecer deitadas.

Com espumantes o cuidado deve ser redobrado. Quanto menos movimentação das caixas durante uma travessia, maior é a garantia da qualidade do produto, já que a garrafa pode sofrer um aumento de pressão interna quando agitada.

A temperatura também influencia diretamente no sabor e aroma do vinho. As garrafas devem ser mantidas em um ambiente com baixa oscilação climática – o ideal é que a temperatura se mantenha em torno de 13ªC durante todo o percurso. Para auxiliar principalmente na conservação do produto em viagens mais longas, é recomendado até 16°C e para brancos 10°C. É necessário ter muito cuidado com a exposição ao calor: uma carga descoberta ou não transportada em um caminhão baú e sem refrigeração por muito tempo pode alterar a qualidade de um vinho.

O profissional especializado deve saber a distribuição correta de peso, a embalagem ideal, que precisa contar com uma divisão – reforçada –  para evitar batidas entre as garrafas. O volume máximo de empilhamento também é importante para não sobrecarregar. Existem alguns fatores que são muito importantes para entender como funciona o processo de transporte, como no caso do vinho, que para ser mantido numa temperatura relativamente boa, pode ser transportado num container refrigerado.

Como o vinho é um produto orgânico e vivo, ele está mais propício a mudanças de acordo com o clima. Seguir os procedimentos corretamente é essencial para garantir a qualidade na entrega do produto. A má escolha pode gerar o reverso e a perda de toda a carga.

A Royal Cargo atende renomadas empresas deste segmento, tanto no internacional rodoviário, quanto no marítimo, com know-how para garantir que o produto está sendo bem transportado e chegará a tempo, fazendo todos os processos com segurança e profissionais altamente qualificados.

Se você é exportador ou importador desse produto, a Royal Cargo é o lugar certo para você, venha conhecer melhor a nossa empresa. Entre em contato conosco e transporte seu vinho!

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.